Skip to content

Jogos Retrô – Push Start 3.0 – 30/01/2016

janeiro 30, 2016
by

push-start

Enfim mais um projeto concluído. A vivência de jogos retrô “Push Start” 2016 foi um sucesso! Leia mais…

Jogos Retrô – Push Start 3.0 – 23/01/2016

janeiro 24, 2016

push-start

É isso aí amiguinhos, vamos continuar com a nossa epopeia com a terceira versão do Push Start, que está acontecendo durante os sábados de janeiro no SESC Jundiaí. Leia mais…

Jogos Retrô – Push Start 3.0 – 16/01/2016

janeiro 17, 2016

push-start

E ontem continuou nossa saga que leva jogos e videogames clássicos para a galera curtir, conhecer e relembrar. O evento está acontecendo durante os sábados do mês de janeiro no SESC Jundiaí sempre das 14h as 18h. O evento é público e gratuito. Leia mais…

Jogos Retrô – Push Start 3.0 – 09/01/2016

janeiro 11, 2016

push-start

E como sempre, é uma delícia levar os videogames e jogos clássicos que fizeram parte da nossa infância para os mais jovens, as crianças de hoje, poderem jogar, experimentar e viver um pouco da simplicidade e da diversão verdadeira que os jogos retrô conseguem trazer com maestria. Leia mais…

Push Start 3.0 – Jogos Retrô

janeiro 8, 2016

push-start

Vai acontecer a partir de amanhã, dia 9 de janeiro de 2016 a terceira edição do Push Start, um evento em parceria com o SESC (Serviço Social da Indústria) onde nós levamos um pouco da história dos videogames para quem se interessa pelo assunto.

Leia mais…

Push Start 2.0 – Pushing Harder!

janeiro 29, 2014
by

Boa noite amigos e amigas! É com imenso prazer que venho comunicar que nesse mês de fevereiro acontecerá a segunda edição do evento “Push Start” no SESC Campinas. Para quem não sabe ou não lembra, esse é o evento em que eu, Junião, junto com o meu amigo Tellion iremos fazer um bate-papo descontraído sobre a história dos videogames além de disponibilizar jogos e videogames antigos pro pessoal experimentar de graça!

Esse ano, um pouco diferente do que foi em 2012, nós vamos separar a jogatina do bate-papo. Então quem quiser ouvir e conversar sobre a história dos games é só aparecer às sextas-feiras durante o mês de fevereiro na unidade Campinas do SESC, sempre às 19h. As jogatinas acontecerão aos domingos sempre no horário das 14h.

push-start-2-flyer

O SESC Campinas fica localizado na Rua Dom José I, 270/333 , no bairro do Bonfim. Mais informações favor consultar a página 21 do guia de eventos de fevereiro do SESC ou acessando esse link.

Nesse domingo, dia 2 de fevereiro começou a nossa brincadeira. Muitas crianças e adultos tiveram a oportunidade de experimentar alguns jogos dos nostálgicos Atari 2600, Nintendo e Master System. Leia mais…

A Síndrome de Dungeons & Dragons (a série de TV)

janeiro 6, 2014

Quem assistiu TV há duas décadas vai se lembrar do famoso desenho Caverna do Dragão (talvez duas décadas e mais um tanto, na realidade). Atração matinal da Globo. Era realmente muito bom para a época e as situações que a animação trazia eram tão conflitantes que às vezes até o telespectador ficava indeciso, pensando no que os aventureiros deveriam fazer para escapar daquele mundo alternativo imposto a eles. 

MUITOS anos depois, li a suposta HQ final, feita, dizem, com a autorização dos próprios criadores da série. Sem spoilers. A história do último episódio está aqui: http://pt.wikipedia.org/wiki/Requiem_(Dungeons_and_Dragons). A HQ é fácil de achar no Google também. De qualquer maneira, Internet não era algo acessível na época (sequer fora inventada, deu seus primeiros passos aqui no Brasil em meados dos anos 90) e aquela chama ardente consumia muita gente, inclusive eu: o que acontece no final? O episódio estava escrito, mas não tinha como ler (não havia internet), não tinha HQ e obviamente, não seria possível descobrir a história pela TV. 

Hoje, eu, marmanjo de 27 anos, ou 28 para serem completados em menos de duas semanas, me vejo na mesma situação. Maldito NetFlix. Malditos R$ 16 e uns quebrados gastos por mês para ver tudo que eu quiser. Maldita hora que eu cliquei naquela quadradinho com a foto de um cara parecido o Seiya, onde estava escrito: Saint Seiya, A Saga de Hades. Um pouco mais acima desse letreiro, outra coisa estava escrita, bem menor: The Lost Canvas. Não tinha visto em um primeiro momento. Achei que fosse a Saga de Hades dos Cavaleiros do Zodíaco, com Seiya, Shun, Saori, Ikki, Hyoga, Shiryu e a porra toda. Não era. Me deparo com uma história bonitinha sobre Tenma e Alone, dois amigos separados muito jovens. O cara parecido com Seiya é Tenma, o Cavaleiro de Pégaso que participa de uma guerra santa entre Atena e Hades. Tudo isso 200 e poucos anos antes da série original, ou até mais.

Sem grandes detalhes sobre a história, posso dizer que voltei a me sentir aquela velha criança de 8 anos assistindo Cavaleiros do Zodíaco na extinta Manchete. Algumas diferenças são salutares, é claro. Aos 27 anos, posso me dar ao luxo de abrir uma cerveja e assistir os episódios com a fala em japonês, com legendas em português. Também posso vê-los em HD, com todas as glórias e traços, convenhamos, infinitamente melhores, até porque estamos falando de 2009 (ano de lançamento do Anime), e não de algo feito com efeitos e tecnologia dos anos 80. E devo dizer, com o perdão do palavrão, puta que pariu, Lost Canvas é bom. Não. Lost Canvas é bom pra caralho. Apesar de protagonista, Tenma (o cavaleiro de Pégaso) fica em segundo plano por boa parte do tempo, porque os outros personagens são muito bem desenvolvidos. Todos eles, sem exceção. 

Se você realmente quiser ver os Cavaleiros de Ouro em toda a sua grandeza em batalhas fantásticas, esse é o lugar. Mas é claro, tem o problema. A Síndrome de Dungeons & Dragons, ou Caverna do Dragão, como queiram. NÃO TEM FIM! Quer dizer, tem. No mangá japonês. Porém, contudo, entretanto…o OVA tem apenas duas temporadas e as mesmas não correspondem ao final absoluto dos mangás. Falta a terceira temporada. Terminei hoje de assistir à segunda temporada, ao contrário de muita gente que já viu tudo que tinha para ver de Lost Canvas há mais de um ano. Só que eu, assim como eles, clamo por uma terceira e final temporada. E enquanto isso não acontece (se é que vai acontecer, já que não faz lá muito parte dos planos da TMS terminar a série), fico aqui nessa mistura de frustração e curiosidade enorme de saber qual é o final do negócio.

Em suma, estou amargurado. Se você quiser um bom anime (que em partes chega até a ser melhor que o original excetuando-se a saga do Santuário, que tem espaço reservado em meu coração), ou melhor, um fantástico anime, assista às duas temporadas de Lost Canvas. São imperdíveis. E também prepare-se para dias ou meses, até anos, de uma curiosidade que pode não ter mais fim. E com o espírito nerd abalado, porém rejuvenescido, aguardo ansiosamente o filme em CGI de Cavaleiros do Zodíaco. Um reboot da batalha do Santuário com todas as glórias que o full HD + 3D pode trazer…

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.