Skip to content

Jóias raras e jogos empoeirados…

abril 19, 2010

Após quase um mês de ausência (talvez mais, minha memória me falha), finalmente um post do humilde rapaz que vos fala. Indo ao que interessa, você já subestimou algum jogo e depois de muito tempo, quando precisava de alguma coisa pra fazer, resolveu dar uma chance a ele e descobriu que ele era simplesmente espetacular? Tenho certeza que sim. Estou escrevendo esse post para contar alguns casos que já aconteceram comigo…

Às vezes, já acreditamos ter jogado tudo que tinha de bom pra ser jogado em um console, mas por puro tédio, acabamos indo a um camelô ou qualquer loja e resolvemos comprar alguma coisa nova com a qual possamos calejar um pouco mais nossos dedões. Já fiz isso de monte com o meu PS2 e também com o meu PSOne. Quando tinha um N64 e um pouco antes o SNES, alugava.

Voltando à minha infância, teve um jogo com o qual me deparei na minha era 16-bits que era simplesmente animal. Chama-se Legend – um side-scroller de ação na era medieval ou algo do tipo. Como era legal aquilo! Dava para jogar em dois jogadores, você tinha pouquíssimas vidas e menos continues ainda, mas a jogabilidade era fantástica, os poderes e golpes idem, as fases criativas e as batalhas contra os chefões eram difíceis e interessantes.

Haviam alguns personagens à escolha, e cada um deles tinha um poder diferente, além de armas distintas. Era difícil pra burro, no melhor estilo Viewtiful Joe, trazendo isso para os dias contemporâneos, mas ao mesmo tempo, recompensador e muito, muito divertido.
Pulando um certo tempo para o futuro, chegamos ao PSOne. Uma gama de jogos legais para se jogar, mas depois de alguns anos, zerei todos os títulos considerados “premium” para o console. Aí comecei a procurar jogos no “limbo”, na esperança de achar algo que fosse suficiente para matar meu tempo livre, que na época era bem grande. Eis que encontrei um jogo chamado Vandal Hearts II, da Konami, famosa por Winning Eleven e Metal Gear Solid.

O título não deve ser novidade para ninguém, mas eu simplesmente comprei-o sem nenhuma recomendação, só por saber que ele lembrava Final Fantasy Tactics. Inferior nos efeitos e nos gráficos, Hearts II compensava de outras maneiras: cenários maiores, batalhas mais épicas, competitividade ao extremo (o que não era um dos fortes de FFT, pelo menos depois do Orlandu…) e um sistema de batalha muito interessante.

Enquanto em FFT você posicionava seus chars e durante seu turno, só o seu personagem agia, em VHII o inimigo atua ao mesmo tempo, o que proporcionava situações desesperadoras e tensas quando só sobrava um personagem seu e um personagem de seu inimigo. Virava uma partida de xadrez, e por incrível que pareça, isso acontecia sempre, porque o jogo era beeeeeeeem difícil. Recomendadíssimo.

Para finalizar, um título um pouco mais mainstream mas que muita gente talvez não tenha jogado. A menina dos meus olhos atualmente (além da minha digníssima namorada) – Prince of Persia: The Sands of Time. Primeiramente, jogar um título Prince of Persia depois da versão SNES, que por sinal era fantástica, é algo nostálgico e bom por si só. Fica melhor assim que você começa a pegar o feel da coisa, porém.

A mecânica é perfeita, e tinha que ser mesmo, já que se trata de um jogo de plataforma. Tudo funciona perfeitamente bem, seja escalar paredes, se dependurar em qualquer quina que tenha no cenário, pular de pontes, correr pelo muro, enfim, é lindo. A melhor parte é que o jogo te obriga a combinar tudo isso que eu falei para passar de certas partes, transformando o jogador em um acrobata.

O combate também é muito interessante, apesar de não ser a parte mais legal de Sands of Time nem de longe. Os puzzles, entretanto, também são um show a parte, te fazem pensar mas ao contrário de alguns quebra-cabeças da série God of War, eles fazem bastante sentido, sem se tornarem óbvios. Apesar de ser um título lançado em 2003, o jogo tem gráficos muito bons e suporta progressive scan. A trilha é interessante, misturando um pouco de rock com músicas temáticas (vulgo, árabes).

Sem dúvida, o jogo está entre um dos melhores para PS2, de longe. Comprei ele havia alguns meses, resolvi jogar essa semana e não consigo jogar outra coisa. Sands of Time eleva o conceito de “platformer” a um outro nível, e a coisa toda é muito viciante.

Segundo os reviewers, os seus sucessores não chegam ao mesmo patamar, apesar dos gráficos superiores, mas o fato é que Sands of Time faz você querer jogar os outros dois títulos (Warrior Within e The Two Thrones) logo em seguida. Estou com apenas 47% de Sands of Time completados, mas já quero comprar os dois jogos já citados e rápido.

Os exemplos falados aqui só servem para ilustrar que apesar do fato que os títulos mainstream e de renome geralmente são opções “can’t go wrong”, sempre dá para encontrar jogos divertidos entre os títulos menos falados. Claro que Prince of Persia é um nome bem conhecido e antológico, mas Sands of Time foi a estreia da série na “antiga nova geração”, mas não dá para não dizer que o jogo saiu beeeeeeem melhor do que a encomenda. Para concluir, um vídeo de Sands of Time. Se o filme for tão bom quanto o jogo…

4 Comentários leave one →
  1. abril 19, 2010 20:27

    Engraçado falar que Vandal Hearts “nao deve ser novidade pra ninguem” e depois falar q Pince of Persia Sands of Time é algo “que muita gente talvez não tenha jogado” xD

    Eu diria pra comprar os outros 2 com cautela … o 3 chega ao ponto da historia ser tão “omfg q merda” q meio q caba com o feeling do jogo =/

    • abril 20, 2010 01:06

      Na verdade só quis dizer que quem ouve falar de Vandal Hearts e curte Tactics, vai lá e ao menos testa o jogo. Já Prince of Persia é uma jóia mais perdida ainda pelo fato de que apesar de ser um Prince of Persia (o que convenhamos, é um puta nome), uma cacetada de gente nem deu uma chance pros jogos, e aposto que muita parte dessa cacetada jogou o antigo Prince of Persia e depois a versão SNES.

      Quanto aos outros dois títulos de PoP, sim, pelo que li por aí não estão no mesmo calibre de Sands of Time. Estou curioso quanto ao Prince of Persia newgen, dizem que é muito bom. Alguém jogou?

      • Leite permalink
        abril 20, 2010 20:09

        Eu já! O jogo esta mal acabado e fica enjoativo facil facil, fora o fato de que é impossivel morrer por queda pois a mulherzinha SEMPRE teleporta e te resgata, na minha opinião o jogo ficou mto newbie friendly.

  2. abril 22, 2010 17:58

    O Prince Of Persia preferido do Junião é o do PC (DOS) por motivos óbvios. Já os 3 jogos do PS2, joguei mais o Warrior Within e posso dizer que o jogo é animal! Quanto ao Vandal Hearts, sou suspeito para falar mas também gosto mais do primeiro. Não importa o quanto você jogue, sempre terão “novidades” legais para se jogar. Atualmente jogo 2 jogos de 8 bits, Dragon Quest de Nintendinho e Phantasy Star de Master System. Retro Gaming Rules!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: